segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

A Teologia da Libertação, Conde Drácula, vampiros e a Igreja Católica ou como apostasias e heresias não são saudáveis para ninguém.


Leniéverson Azeredo Gomes
Combinação indigesta

A Teologia da Libertação é um movimento supra - denominacional de teologia política, que engloba várias correntes de pensamento que interpretam os ensinamentos de Jesus Cristo em termos de uma libertação de injustas condições econômicas, políticas ou sociais. Ela foi descrita, pelos seus proponentes como reinterpretação antropológica da fé cristã, em vista dos problemas sociais, mas outros a descrevem, brilhantemente como marxismo e materialismo cristianizado.
Os adeptos dessa teologia são: o ex-frade dominicano brasileiro, Leonardo Boff (foto 1) do Brasil, o padre Jesuíta salvadorenho, Jon Sobrino (Foto 2). de El Salvador, O bispo emérito da cidade de Goiás(GO), Dom Tomás Balduíno (Foto 3),  e Juan Luis Segundo do Uruguai, Carlos Alberto Libânio Christo, o Frei Betto (Foto 4), o falecido Arcebispo emérito de El Salvador, Oscar Romero(Foto 5), o falecido bispo mexicano, Samuel Ruiz (Foto 6), o padre mexicano, Ernesto Cardenal(Foto 7), o arcebispo emérito de São Paulo, Dom Evaristo Arns (foto 8), bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), Dom Pedro Casaldáliga (Foto 9), além de outros que não estão nas fotos, como o Padre Júlio Lancellotti. Essa teologia diminuiu após seus proponentes, e seu movimento serem condenados pela Congregação para a Doutrina da Fé (CDF) em 1984 e 1986.

A Santa Sé condenou os principais princípios da teologia da libertação, como a focagem no pecado institucionalizado ou sistêmico, excluindo os pecados individuais, a eliminação da transcendência religiosa, a desvolarização do magistério, e o incentivo a luta de classes.
Com o objetivo de esclarecer os riscos desse tipo de teologia, a Congregação para a Doutrina da Fé publicou dois documentos sobre esta teologia, Libertatis nuntius ("Instrução sobre alguns aspectos da Teologia da Libertação"), em 1984,  e Libertatis Conscientia, de 1986, que respectivamente dizem:
“(...)A presente Instrução tem uma finalidade mais precisa e mais limitada: quer chamar a atenção dos pastores, dos teólogos e de todos os fiéis, para os desvios e perigos de desvio, prejudiciais à fé e à vida cristã, inerentes a certas formas da teologia da libertação que usam, de maneira insuficientemente crítica, conceitos assumidos de diversas correntes do pensamento marxista.Esta advertência não deve, de modo algum, ser interpretada como uma desaprovação de todos aqueles que querem responder generosamente e com autêntico espírito evangélico à « opção preferencial pelos pobres ». Nem pode, de maneira alguma, servir de pretexto para aqueles que se refugiam numa atitude de neutralidade e de indiferença diante dos trágicos e urgentes problemas da miséria e da injustiça. Pelo contrário, é ditada pela certeza de que os graves desvios ideológicos que ela aponta levam inevitavelmente a trair a causa dos pobres. Mais do que nunca, convém que grande número de cristãos, com uma fé esclarecida e decididos a viver a vida cristã na sua totalidade, se empenhem, por amor a seus irmãos deserdados, oprimidos ou perseguidos, na luta pela justiça, pela liberdade e pela dignidade humana. (...)”Libertatis nuntius
“A dimensão soteriológica da libertação não pode ser reduzida à dimensão socio-ética, que é uma sua consequência. Restituindo ao homem a verdadeira liberdade, a libertação radical realizada por Cristo atribui ao mesmo homem uma tarefa: a praxis cristã, que é a execução do grande mandamento do amor. Este último é o princípio supremo da moral social cristã, fundada sobre o Evangelho e sobre toda a tradição desde os tempos apostólicos e a época dos Padres da Igreja até às recentes intervenções do Magistério. Os consideráveis desafios de nossa época constituem um apelo urgente para se pôr em prática esta doutrina de ação.(...)”. Libertatis Conscientia.
Quando o primeiro documento fala sobre “certas formas da teologia da libertação que usam, de maneira insuficientemente crítica, conceitos assumidos de diversas correntes do pensamento marxista”, fala exatamente de uma rebeldia ao magistério da Igreja e ao Sumo Pontífice, sempre o chamando o papa de sinal do atraso.. Leonardo Boff, por exemplo, já sofreu censuras públicas por questionar a doutrina da Igreja Católica e é um velho conhecido do Cardeal Josef Ratzinger, hoje, Bento XVI. “As teses das « teologias da libertação » estão sendo largamente difundidas, sob uma forma ainda simplificada, nos cursos de formação ou nas comunidades de base, que carecem de preparação catequética e teológica e de capacidade de discernimento. São assim aceitas, por homens e mulheres generosos, sem que seja possível um juízo crítico”.
Eles estão a solta
 para infectar heresias
        Vejamos, em 1897, o irlandês Bram Stoker escreveu o livro-romance “Drácula” , inspirado em contos e causos de terror sobre vampiros oriundos da região da Transilvânia, cidade romena. Drácula, um homem alto, forte, sedutor, excêntrico e charmoso, morava num castelo de grandes proporções, e, que se alimentava de sangue humano. Todo aquele que era mordido pelo Conde Drácula, principalmente na região do pescoço ,era transformado em vampiros e, como se sabe, vampiros odeiam, dentre outras coisas a luz

Senão tomar cuidado,
 esta pode ser você.
Bom, aqueles homens citados por mim acima, são  mestres dos magos da teologia da libertação e dráculas do mundo real religioso. Transformam pastorais como as da Juventude, universidades católicas ou não, espaços jornalísticos em castelos, dentre outros lugares, meios e consciências sacerdotais, como castelos, em busca de  sangue novo.

Ao serem mordidos e, consecutivamente infectados por esses vampiros, só conseguem viver, daqui para frente, segundo os próprios infectados, sob o manto da teologia da libertação – aqui deve ser entendido como escuridão herética. Assim como a luz incomoda os vampiros, a Doutrina Social da Igreja, desta forma, incomoda os infectados pela TL, sigla usada para designar a teologia da libertação.

Sem esse “alimento sólido”, o deposito da fé
 (o depósito da fé), ninguém poderá
ser verdadeiramente católico
Em outubro de 2012, o Professor Universitário Emérito, Felipe Aquino, apresentador do programa “Escola da Fé”, transmitido às quintas-feiras, pela TV Canção Nova, escreveu um artigo em seu blog que diz assim:

“O autor da Carta aos Hebreus escreveu: “Ora, quem se alimenta de leite não é capaz de compreender uma doutrina profunda, porque é ainda criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que a experiência já exercitou na distinção do bem e do mal” (Hb 5, 13-14). Sem esse “alimento sólido”, que a Igreja chama de “fidei depositum” (o depósito da fé), ninguém poderá ser verdadeiramente católico e autêntico seguidor de Jesus Cristo”.
Pode-se dizer que os membros da Teologia da Libertação preferem viver uma fé infantil, não querem viver algo autentica e verdadeiramente profunda. Boff e congêneres não querem viver sob o manto do “fidei depositum”, e, curiosamente são entrevistados pelos meios de comunicação como se fossem as vozes da Igreja, quando não é.

Os progressistas veem Jesus
 como um líder de Contracultura





A Teologia da Libertação é parceira de líderes sanguinários, como Hugo Chávez, Fidel Castro, Che Guevara, dentre outros. A ideologia da TL cultiva uma visão de  paz e amor e amor Cristão, como se cultivava no movimento hippie do festival da cidade inglesa de Woodstock, em 1969, com a diferença de que em Woodstock, usavam o alucinógeno LSD.

Jesus Cristo relativista "Paz e Amor"
Esse tipo de Teologia, assim como as ideias de Woodstock, desenvolvia uma concepção  de mundo baseado na contracultura, um viés revolucionário, tendo como protagonista, um Jesus Cristo superstar que agrada aos caprichos humanos, um modernista, um progressista por excelência. Enfim, um Jesus em que não se mais exige que as pessoas de adapte as suas palavras, mas as palavras que se adapte as vontades hedonistas do ser humano.
No mês passado, um artigo do Reinaldo Azevedo, da Revista Veja, aponta de forma clínica que a Teologia da Libertação é uma das responsáveis pela queda do número de católicos no Brasil. Vejam, o trecho em que o blogueiro, que é católico convicto, defende essa idéia:
   "(...)Estudiosos tentam entender as razões do declínio da Igreja Católica no Brasil — e está em declínio, é inútil negar. Deriva, não tenho dúvida, entre outras causas, do fato de que muitos religiosos passaram a ignorar o dogma da Cruz em favor do da luta de classes. O pior é que acabam com um entendimento prejudicado das duas coisas. Os marxistas originais, vá lá, achavam que era preciso superar o capitalismo para chegar ao socialismo — e àquilo que entendiam ser o bem-estar coletivo. (...)"


A turma das duas caras
 estará no Rio de Janeiro
Em julho teremos no Brasil, a Jornada Mundial da Juventude e, como se sabe, não mais com o Papa Bento XVI, devido a renuncia dele por “humildade e pelo bem da Igreja”, mas o evento está mantido.      

Os adeptos da TL estarão no Rio de Janeiro  para fazer o coro da falsidade, dizendo que amam o Papa, seja ele quem for. Se tivessem vergonha não iriam a programação intensa da jornada, mas, infelizmente eles não tem.

4 comentários:

Stefan disse...

A TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO É UMA RAMO DO NAZISMO, FASCISMO OU COMUNISMO!
Relativismo é o que adotam os partidos comunistas como o PT com sua parceira, a esquerdista Teologia da Libertação-TL, divulgadora e praticante do Marxismo Cultural-MC, que é a subversão da doutrina da Igreja Católica em ensinamentos socialistas sob aparencias religiosas forjados em seus laboratorios de engenharia social para enganarem os incautos.
É nova tática na mídia e redes sociais, subvertendo sutilmente a doutrina da Igreja católica, a simples comportamentos sociais; idem, infiltrando nela agentes comunistas desde a década de 30 por Stálin e seguintes, assim como apóstatas católicos, como alguns sacerdotes "progressistas", melhor comunistas, e até bispos: D Hélder, Arns (Foro de S Paulo, CIM), Casaldáliga, etc., os ex freis Boff, Betto, Susin, Libânio e os sutis, como Pe Fabio de Melo etc.
Negam toda a transcendência e a ética-moral cristãs reduzindo-as a ações de IGUALITARISMOS, os quais atiçam a INVEJA: não tolera os mais ricos, mais sábios, etc; o ORGULHO: de não aceitar superiores a si; e a SOBERBA: não se submeter a Deus; a ordem é atiçar o odio entre classes e pessoas.
Daí o acima favorece as lutas de classes, de etnias, entre Estados, desagregamento familiar e social e exacerbado sensualismo, gerando a massificação, facilitando em um povo alienado a imposição de mazelas: aborto, BBBs da vida, pedofilia, seitas, e por negar a transcendência além-vida a reduz a uma doutrina apenas a comportamentos sociais.
Assemelha-se ao relativismo protestante: cada um interpreta como quiser, auto idólatras, dezenas de milhares de seitas, cada um ensinando uma verdade pessoal, unidos fisica e exteriormente, mas sem coesão alguma doutrinaria
Assim, a TL por ser relativista e praticar o Marxismo Cultural dopa, aliena e incrementa a luta de classes, descristianizando, desfamiliarizando, desagregando-as entre si pois, estando divididas, facilitará sua captura e dominação sob um regime comunista, dos mesmos moldes dos nazistas e fascistas.
Confiram na net o "DECÁLOGO DE LÊNIN", os 10 mandamentos dos comunistas em que se pautam para agir, citando aqui apenas o 1º: "Corrompa a juventude e dê-lhe toda a liberdade sexual"; pedofilia, seitas que são outros múltis disfarces do comunismo para uma alienação geral.
Daí serem seitas satânicas sob aparencias de partidos políticos, como o PT, objetivando insurgir o homem contra Deus e ódio entre pessoas para, divididas e batendo-se entre si, as dominarem.
Note que entre si e entre partidos abocanham-se como cães ferozes para dominarem uns aos outros - os expurgos - e só os mais truculentos prevalecem.
Mais de 160 000 000 de mortos por repressão comunista só no século XX!
Veja na net: "CARTA QUE FIDEL CASTRO ENVIOU AO PRESIDENTE CHÁVEZ DE COMO IMPLANTAR O COMUNISMO NA VENEZUELA" e depois teria sido repassada a Lula, nela os pobres são: "gente sem memoria, faceis de se manipularem, massa de manobra, idiotas úteis" e muito mais trapaças de como chegarem ao poder por meio da mídia.
Diz o 2º mandamento: "infiltre, e depois controle todos os meios de comunicação em massa".
Que adere à TL dos Boff & Cia ou votam no PT - socios/parceiros - colaboram no caos, são anti Cristo, assim os ex religiosos que vieram de recente congresso da TL na UNISINOS-RS com o aliado PT, comunistas sacerdotes e até bispos, traidores da fé, de Deus e da Igreja, lobos em pele de cordeiro.
Há 1 biblia, "BIBLIA. EDIÇÃO PASTORAL" da (socialista) Editora Paulus que é socializada, Pes Ivo Storniolo/Euclides Balancin, imprimatur de D Luciano, irrecomendavel a católicos e os comentarios contestadores são do grande teólogo Dom Estêvão Bettencourt.
As recentes manifestações contra a blogueira cubana Yoani são uma mostrazinha do tipo de democracia dos comunistas do PT: a de Cuba, "coleira no pescoço e fecho éclair na boca"!

Blog Católico do Leniéverson disse...

Pois é, Stefan, há duas formas de se ver Cuba e o Socialismo de duas formas, o real e o surreal. A Maioria vê de forma surreal, nunca pisou em um País comunista como Cuba. Não conhecem a realidade "in loco".É uma loucura impressionante isso. Como você bem disse, o Caso Yoani é a prova clara e evidente isso. É uma realidade a parte. Ontem, no fim da tarde, a camara dos deputados, discutiram se a blogueira deveria ter ou não proteção da polícia federal aqui no Brasil, a maioria da base aliada do PT, disse não.A defesa desse "não" foi a coisa mais tosca e nojenta.

Rondinélia Alves disse...

Agora eu entendi muitas coisas que estavam me intrigando ....

Blog Católico do Leniéverson disse...

Olá, obrigado pela participação, Rondinélia, mas poderia dizer para nós, o que estava te intrigando?Fiquei curioso, quem eu possa te ajudar um pouco melhor.Fica com Deus!